Politica

Jerónimo de Sousa garante que não está em "período experimental" na liderança

Declaração de Jerónimo de Sousa foi feita no encerramento do XXI Congresso do PCP, que decorreu em Loures.

Depois de ser eleito, pela quinta vez, secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa garantiu não está "a prazo datado, nem em período experimental". 

"Não estamos aqui a prazo datado, nem em período experimental, mas sim disponíveis para fazer o que temos de fazer, o que o congresso decidiu", disse Jerónimo de Sousa, aos delegados ao congresso do PCP, que decorreu em Loures.

A declaração improvisada do líder do PCP surgiu quando se referiu às votações feitas no congresso e pelo comité central e não fazia parte do discurso de encerramento. De realçar que mandato dos órgãos eleitos neste congresso é de quatro anos.

Jerónimo de Sousa, que lidera o partido desde 2004, criticou ainda "os estados de emergência excessivos e inconsequentes" e comentou a polémica em torno da realização do congresso, que aconteceu em pleno estado de emergência. O secretário-geral do PCP sublinhou que "se há algum ensinamento a extrair do Congresso do PCP é que não existe nenhuma dificuldade intransponível para garantir a segurança sanitária e o exercício de direitos e liberdades".