Internacional

2020 é um dos três anos mais quentes de sempre

Relatório aponta como provável o não cumprimento das metas dos Acordo de Paris já em 2024.


A projeção é a de que o ano de 2020 fique na história como um dos três mais quentes desde que há registos, alertou, esta quarta-feira, a ONU, que prevê também que a temperatura média em 2024 exceda o limite de 1,5 graus celsius que faz parte do Acordo de Paris.

A última década, 2011-2020, na qual foram assinalados vários recordes anuais de temperatura, será a mais quente desde que há registos, com destaque para os últimos seis anos, que registarem as temperaturas mais altas, de acordo com o relatório anual provisório sobre o estado do clima da Organização Meteorológica Mundial (OMM).

Entre janeiro e outubro deste ano, a temperatura média global foi cerca de 1,2° C mais quente do que no período de referência 1850-1900. Assim, 2020 está cada vez mais perto de ser um dos três anos mais quentes já registados no planeta.

O relatório coloca ainda como muito provável a hipótese de a temperatura média global ultrapassar temporariamente os 1,5 graus até 2024.

No entanto, um dos objetivos do Acordo de Paris, assinado em dezembro de 2015 por 195 países, é conter o aumento das temperaturas para 1,5° C em relação à era pré-industrial.