Internacional

Obama, George W. Bush e Bill Clinton disponíveis para serem vacinados contra a covid-19 na TV

O objetivo dos ex-Presidentes dos EUA é encorajar os norte-americanos a serem vacinados. 

A vacina contra o novo coronavírus é um dos assuntos mais falados e polémicos do momento. Muitos mostram-se entusiasmados com os resultados positivos das vacinas contra a doença. Outros dizem estar reticentes com o facto de serem vacinados e com os possíveis efeitos secundários. Para combater as inseguranças, os ex-presidentes dos EUA Barack Obama, George W. Bush e Bill Clinton disseram que podem ser vacinados publicamente para encorajar a população a fazer o mesmo e mostrar que acreditam na eficácia da mesma. 

Em entrevista à rádio Sirius XM, Barack Obama disse que confia plenamente "nas autoridades de saúde do país, incluindo no imunologista Anthony Fauci, o conselheiro principal da Casa Branca no combate à pandemia. "Se Anthony Fauci me disser que esta vacina é segura e pode proteger-me contra a covid, não hesitarei em usá-la", disse o ex-Presidente dos EUA, garantindo que quando a vacina estiver disponível para "pessoas menos vulneráveis" irá tomar a vacina e não tem problemas em faze-lo perante câmaras de TV, "para que as pessoas vejam que eu confio na ciência". 

Também um representante de George W. Bush disse que o ex-Presidente de 74 anos está disponível para tomar a vacina contra o novo coronavírus, depois de estas serem administradas a pessoas mais vulneráveis. Bush vai ser "vacinado de boa vontade na frente das câmaras", disse o representante à CNN. 

O porta-voz de Bill Clinton, Angel Urena, também assumiu que o democrata de 74 anos disse que está disponível para ser vacinado publicamente se tal incentivar os norte-americanos a tomarem a vacina contra o novo vírus.