Sociedade

Governo admite que este será um Natal "garantidamente" diferente e apela ao "bom senso" dos portugueses

António Lacerda Sales lembra que não se pode aliviar a "pressão" sobre a prevenção.

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, admitiu, esta sexta-feira, que este será um Natal “garantidamente” diferente e apelou ao “bom senso” dos portugueses nesta época.

"Há um decréscimo da doença neste momento, mas temos que manter a pressão sobre a cautela, sobre a prevenção e, portanto, não podemos aliviar essa pressão", disse o governante aos jornalistas, no final de uma visita a duas unidades de saúde em Matosinhos.

Lacerda Sales lembrou ainda que este é um período em que as famílias tentam encontrar-se e há uma maior mobilidade, apelando, por isso, ao “bom senso” dos portugueses para se conseguir "bons resultados" no combate à pandemia da covid-19.

"O que nós pensamos e apelamos é ao bom senso dos portugueses (...) que percebem que este Natal tem garantidamente que ser diferente e, por isso, o bom senso dos portugueses com certeza conduzirá a bons resultados”, acrescentou.