Cultura

Botticelli vai a leilão por 74 milhões

Trata-se da mais importante pintura de Botticelli ainda em mãos privadas. Será agora leiloada em Nova Iorque, pela Sotheby’s.

É um dos poucos retratos da autoria do mestre florentino Sandro Botticelli (1445-1510) que chegaram até aos dias de hoje em mãos privadas – a maioria das suas obrsa está a cargo dos grandes museus – e vai agora a leilão por 90 milhões de dólares (74 milhões de euros), em Nova Iorque.

Jovem Segurando um Medalhão, um retrato produzido há cerca de 550 anos e descoberto na década de 1930 entre as obras da colecção de Lord Newborough, no País de Gales (conta-se que tenha sido adquirido em Itália por um antepassado seu), não estando por essa altura ainda atribuído a Botticelli, é, segundo a Sotheby’s, «um dos mais significativos retratos, de qualquer período, a aparecer num leilão». E será também um dos retratos leiloados por um valor mais elevado, depois dos recordes de Retrato de Adele Bloch-Bauer II, da autoria de Gustav Klimt, ter em 2006 sido arrematado por 87,9 milhões de dólares (72,3 milhões de euros), e de Retrato do Dr. Gachet, de Van Gogh, por 82,5 milhões (67,9 milhões de euros), em 1990.

Segundo a leiloeira, Jovem Segurando um Medalhão é equiparável a vários dos melhores retratos do autor de O Nascimento de Vénus e A Primavera atualmente na posse de grandes museus. Por exemplo a Retrato de Jovem com Medalha de Cosimo de Médici, na Galeria Uffizi, em Itália, e Retrato de Giuliano de Médici, na National Gallery of Art, em Washington.