Tecnologia

Quais foram as palavras mais pesquisadas no Google este ano em Portugal?

Descubra quais foram as curiosidades mais comuns dos portugueses em 2020.

Quais foram as palavras mais pesquisadas no Google este ano em Portugal?

A Google divulgou, esta quarta-feira, os temas mais pesquisados em Portugal este ano, destacando-se conteúdos como Coronavírus, eleições nos Estados Unidos ou Pedro Lima, o ator português que morreu em junho. “Como fazer quarentenas” ou “como fazer pão", foram algumas das questões mais populares pesquisadas no motor de busca.

A empresa destaca que “no meio de uma pandemia global, todas as pessoas de todos os locais tentaram perceber o que se estava a passar à sua volta - e é por isso que não é surpresa que o coronavírus tenha sido a pesquisa mais popular em todo o mundo este ano e, obviamente, Portugal não foi exceção".

Segundo a Google os temas mais pesquisados este ano foram "coronavírus Portugal", "escola virtual", "coronavírus", "eleições nos Estados Unidos", "Pedro Lima", "Segurança Social Direta", "classroom", "DGS", "Zoom" e "Liga NOS".

Quanto às questões destacam-se "como fazer pão", "como fazer máscaras", "como funciona 'lay-off'" ou "como colocar máscara".

Os portugueses tiveram ainda curiosidade em saber "o que é 'lay-off'", "o que é mitigação" ou "o que é calamidade pública".

"Cavani", "Donald Trump", "Joe Biden" ou"Isabel dos Santos", foram as figuras internacionais mais pesquisadas e a nível nacional destacou-se "Pedro Lima".

Quanto a futebol, a Google destaca que "o ano de 2020 foi recheado de surpresas e dilemas nas quatro linhas: transferências milionárias, vitórias e derrotas moldaram a pesquisa dos portugueses". A empresa refere que "o enorme sucesso de 'Bruno Fernandes' no Manchester United, tornou-o o líder da tabela dos nomes nacionais mais populares em Portugal na pesquisa Google”.

Também "Cavani" e a "sua possível transferência para o Benfica foi outro dos interesses dos portugueses e que fez com que o jogador fosse o nome internacional mais popular nas pesquisas no Google".

Os comentários estão desactivados.