Internacional

Vacina da Pfizer suspensa temporariamente no Reino Unido para pessoas com reações alérgicas graves

Decisão chega depois de dois profissionais de saúde terem desenvolvido reações alérgicas após terem recebido a vacina.

Depois de dois funcionários do Serviço Nacional de Saúde britânico terem manifestado reações alérgicas após a toma da vacina da Pfizer/BioNTech, as autoridades reguladoras do país emitiram uma indicação para que a vacina não seja administrada a pessoas com reações alergias severas, avançou a Sky News.

Entre os grupos prioritários no plano de vacinação contra a covid-19 no Reino Unido, que começou a vacina a população esta terça-feira, estão os profissionais de saúde e, dois deles desenvolveram uma “reação anafilática”, depois de vacinados. Ambos têm historial de alergias severas e têm mesmo de andar com a caneta de adrenalina para situações de emergência. Segundo a Sky News, os dois estão a recuperar.

A Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde (MHRA) emitiu um alerta preventivo, devido a esta situação, para que quem tenha um historial de alergias graves a medicamentos ou produtos alimentares não seja vacinado. Todas as entidades envolvidas na vacinação foram informadas acerca do sucedido. Agora, todas as pessoa serão questionadas sobre um eventual histórico de reações alérgicas antes de tomar a vacina.

Entretanto, a Pfizer já reagiu, apoiando a decisão da MHRA como medida preventiva, no entanto, um porta-voz da farmacêutica garante que durante os ensaios clínicos não foi registada qualquer situação semelhante.

Na fase três dos ensaios clínicos, onde participaram 44 mil voluntários, dos quais 42 mil já receberam a segunda dose, “a vacina foi geralmente tolerada de forma positiva, sem problemas de segurança detetados pelo comité independente que analisou os dados”, disse a Pfizer em comunicado. “A Pfizer e a BioNTech estão a apoiar a investigação do MHRA”, acrescentou.