Politica

Ministro admite que queria plano de reestruturação da TAP votado na AR mas "não conseguiu"

Líder parlamentar do PSD já tinha referido que o ministro das Infraestruturas não tinha ficado confortável com a decisão do primeiro-ministro. 

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, confessou que queria levar o plano de reestruturação da TAP a votação no Parlamento.

"Queria que fosse votado no Parlamento, mas não consegui. É pena", admitiu Pedro Nuno Santos, citado pelo Expresso.

De realçar que esta, quinta-feira, António Costa confirmou que o futuro da companhia aérea vai mesmo ficar nas “mãos” do Executivo, depois de revelar que, afinal, o plano de reestruturação da TAP não vai ser debatido e votado na Assembleia da República.

“Não faz parte do sistema constitucional português” que o Parlamento “substitua o Governo nas funções de governação”, disse aos jornalistas o primeiro-ministro, à entrada para o conselho europeu, em Bruxelas.

Recorde-se que esta possibilidade havia sido adiantada, no passado domingo, pelo comentador político Luís Marques Mendes, e foi confirmada, no dia seguinte, por fonte da direção do PSD. “Creio que quem anunciou, ou teve uma má fonte, ou se precipitou naquilo que era a perspetiva da atuação do Governo”, acrescentou António Costa.

Ontem, o líder parlamentar do PSD já tinha referido que o ministro das Infraestruturas não tinha ficado confortável com a decisão do primeiro-ministro. “Disse-nos até que não estava muito confortado, ou confortável” disse Adão Silva após reunir com o ministro.