Internacional

Homem que matou mulher grávida enquanto tinham relações sexuais escreveu carta a fazer-se passar pela vítima

A vítima, Francine dos Santos, era maquilhadora, tinha 21 anos, e estava grávida de poucos meses. 


Um homem, acusado de matar a mulher grávida, enquanto mantinham relações sexuais, em São Paulo, no Brasil, escreveu uma carta de despedida para forjar que o casal teria decidido, em conjunto, morrer. O crime remonta a dezembro de 2019, mas foram agora conhecidos novos detalhes.

Segundo o site G1, que teve acesso à carta quase um ano após o crime, o homem, que se tentou suicidar depois de assassinar a mulher, escreveu uma carta dirigida à família para tentar ocultar o que havia feito. "Decidimos partir juntos. Queríamos família junta nos apoiando, mas é um inferno tanto dos dois lados. Que vocês sintam o peso do que nos fizeram passar”, escreveu o arguido, Marcelo Araújo.

A vítima, Francine dos Santos, era maquilhadora, tinha 21 anos, e estava grávida de poucos meses. Dados anexados no início deste mês ao processo indicam que a mulher sofreu um corte na garganta, uma fratura no pulso direito e um traumatismo craniano.

Durante o interrogatório, o homem confessou que usou uma lâmina para matar a mulher, enquanto tinham relações sexuais. A polícia tinha ainda revelado que depois de ser detido, Marcelo apresentou várias versões sobre o crime, mas admitiu que matou Francine depois de ambos discutirem porque esta lhe contou que estava grávida.

Em novembro, já depois de a defesa ter recorrido da decisão de levar o arguido a julgamento, o tribunal decidiu manter a decisão de primeira instância. A data para início do julgamento ainda não foi marcada.