Sociedade

PSP morre depois de ter sido atropelado por homem que agredia mulher na via pública

Polícia, fora de serviço, estava a proteger uma vítima de violência em Évora.

Um agente da PSP de Évora morreu, esta madrugada, depois de ter sido atropelado intencionalmente, no sábado à noite, em Évora.

O polícia atropelado ainda foi transportado, depois do atropelamento que terá ocorrido por volta das 21h45, para Hospital de Évora, onde não resistiu aos ferimentos e acabou por morrer.

O suspeito do atropelamento que se revelou fatal colocou-se em fuga, mas as autoridades detiveram-no na zona de Alcabideche em Sintra, adianta um comunicado da PSP, a que o SOL teve acesso.

Na origem do atropelamento estará a intervenção do agente da PSP, que quis pôr fim às agressões de que foi testemunha em plena via pública de um homem contra a sua alegada companheira.

De acordo com informação avançada pela PSP, o agressor arrastou a mulher pelo chão e obrigou-a a entrar numa viatura, até que foi intercetado pelo polícia, que não estava de serviço.

A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP) publicou uma nota no Facebook na qual lamenta o sucedido e apresenta as condolências à família. A "PSP está de luto por mais este trágico acontecimento". Na mesma mensagem, aquela estrutura lembra ainda que o agente estava a prestar auxílio a uma vítima de violência.

Também o Sindicato Nacional da Polícia deu conta da morte do agente: "O SINAPOL lamenta informar que um colega nosso da PSP de Évora, que esta tarde foi intencionalmente e covardemente atropelado, não resistiu aos ferimentos e acabou por falecer". "Mais um colega assassinado, mais uma vida sem valor. Apresentamos, neste momento de Dor as nossas condolências à família, amigos e colegas", lê-se na publicação.