Sociedade

Estudo revela os cosméticos que têm substâncias que causam alergias ou problemas de fertilidade

O estudo feito pelo organismo de defesa dos consumidores da Dinamarca revela que existem no mercado 39 cosméticos com substâncias químicas que colocam em perigo a vida humana e a do ambiente.

No projeto criado pelo organismo de defesa dos consumidores da Dinamarca participaram 34 países de cinco continentes, entre os quais Portugal com a organização ambientalista ZERO, com o objetivo de comparar as diferenças entre os mesmos produtos noutros países, bem como saber se têm substâncias indesejáveis para a saúde humana e ambiental.

Porém, a lista de produtos estendeu-se para 176 devido às versões e ingredientes diferentes. Através de um sistema de classificação de A, B e C, sendo C a pior de todas, verificou-se que 39 dos produtos estudados têm mais do que um ingrediente capaz de interferir com o sistema hormonal, provocar alergias, problemas de fertilidade ou prejudicar a natureza por se acumularem no ambiente ou nos animais.

Na lista encontramos champôs, cremes para o corpo, protetor solar infantil, desodorizantes e dentífricos de várias marcas, que pode consultar no site do organismo dinamarquês.

As conclusões baseiam-se na consulta dos rótulos, onde se encontraram algumas duvidas sobre a quantidade de cada substância nos produtos. Além disso, o estudo também alerta que certos produtos da mesma marca que tem igual código de barras podem ter ingredientes diferentes consoante o país em que são vendidos.

A organização ZERO defende uma legislação que consiga "retirar progressivamente estas substâncias químicas preocupantes dos produtos".