Marketing

Descancelamento obrigatório

A época de Natal é o momento mais solidário do ano. Quer seja por tradição, comoção ou até por uma espécie de redenção, estamos mais disponíveis e atentos para ajudar. A ilusão do subsídio de Natal distrai a habitual racionalidade com que analisamos quase todos os nossos gastos. Depois chega a noite da ceia e, de consciência tranquila e um apetite insaciável, celebramos um evento e cumprimos rituais instituídos. Mas é Natal e as crianças ficam felizes com os brinquedos novos.

Naturalmente é neste período que surge o maior número de solicitações de apoio. Tentamos contribuir para as causas que nos são mais próximas ou para as que nos chamam mais a atenção. Por muito que queiramos e possamos, não conseguimos chegar a todas e, este ano, há menos pessoas com possibilidade de ajudar e mais a precisarem de ajuda. Neste cenário, a comunicação desempenha um papel importante. Há mais causas, mais pessoas que precisam de apoio, muitas delas pouco visíveis. É o caso da União Audiovisual que representa os profissionais dos eventos.

O bom marketing depende sempre de um bom produto ou serviço – nada pior para uma marca do que vender bem uma má experiência, seja ela qual for. Podemos definir um bom produto de várias maneiras, mas essencialmente é um bom negócio, ou seja, o retorno (emocional, funcional ou uma conjugação dos dois) compensa o investimento.

A Uncancel Collection é um dos melhores exemplos de ações de Natal de que tenho memória. Para apoiar a União Audiovisual, foi criada uma plataforma que vende o merchandising dos espetáculos, nomeadamente festivais, que foram cancelados durante o ano de 2020. E foram muitos. Esta iniciativa tem o mérito de transformar produtos inúteis, pelo menos para o que tinham sido inicialmente concebidos, em objetos de valor, colecionáveis. Comprar uma destas peças é uma demonstração pública de solidariedade e de paixão por um determinado conteúdo ou pelo setor no seu todo. Todas as receitas revertem para a união audiovisual.

A ação é também um excelente exemplo do poder da disseminação orgânica de uma mensagem, bem como da relação próxima entre a televisão e os canais digitais. Sobre a primeira, convém dizer que a Uncancel Collection contou com o apoio de muitas das principais marcas e artistas do panorama nacional, que sem dúvida ajudaram a crescer o universo de pessoas expostas ao tema. Mas não foi gasto um único euro em espaço publicitário, em anúncios. Já o efeito cruzado nos meios foi bem evidente, tendo-se registado os picos de acesso ao site imediatamente após a presença dos promotores da ação em programas televisivos.

O artigo mais vendido é a e-shirt, uma t-shirt virtual que custa cinco euros. Um bom produto que compensa largamente o investimento pois, além digital e original, evita a deslocação à rua. Ou duas, se quisermos fazer a entrega pessoalmente. Compreender a necessidade, o contexto e a disponibilidade das pessoas para aderirem a um movimento é fundamental para que a comunicação resulte, inscrevendo o tema no reduzido número de opções que consideramos.

A Uncancel Collection é uma forma criativa de ser solidário, eficaz na medida do elevado retorno que dá a quem ajuda. Mesmo procurando atingir os mesmos fins, entre aderir a uma boa ideia concretizada num produto ou a um peditório que todos os anos se repete da mesma forma, com todo o respeito, não há comparação entre o potencial de uma e outra. Esperemos que as duas se alinhem o mais possível, o que até já vai acontecendo, e que as boas causas sejam suportadas, também, por boas ideias.

O resto é talento, força de vontade e fibra para aguentar os 23%. E, claro, aquela pontinha de sorte para que tudo aconteça sem problemas de maior.