Internacional

OMS recomenda ficar em casa e não visitar familiares no Natal

“Há uma diferença entre o que as autoridades permitem e o que é suposto fazer”, alerta.


Não visitar familiares e ficar em casa – são estas as principais (e mais seguras) recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) para o Natal.

Em comunicado, esta sexta-feira, o Escritório Regional da OMS para a Europa defendeu que o mais seguro para a saúde é não visitar familiares nas quadras que se aproximam, lembrando que “há uma diferença entre o que as autoridades permitem e o que é suposto fazer”.

“O mais seguro agora é ficar em casa", refere o diretor da OMS Europa, Hans Kluge, na referida nota.

O responsável apela ainda ao “espírito coletivo" neste época, como forma de ajudar a ultrapassar alguns dos desafios que a pandemia trouxe, seja os problemas relacionais com a saúde mental, o medo da transmissão da covid-19,  o isolamento, o desemprego, as preocupações financeiras ou a exclusão social.

"Reconhece que, embora separado dos teus entes queridos, não estás sozinho. Reacende o espírito coletivo que existe durante a crise: comunica, conecta-te, apoia-te. Lembra-te que o mais seguro é estar em casa", aconselha o diretor da OMS Europa.

"Quando olharmos para trás, para esses tempos sem precedentes, espero que todos sintamos que agimos com um espírito de humanidade compartilhada para proteger os necessitados", refere Kluge, que lembra ainda que nos esperam mais alguns meses de "sacrifício” e que a covid-19 permanece com "as taxas mais altas desde o início do ano" e a transmissão continua "intensa e generalizada" na Europa.

Há cerca de dois dias, a OMS Europa já tinha pedido às famílias para praticarem o distanciamento social e usarem máscara dentro de casa durante as festividades.