Desporto

F.C. Porto foi o clube que sofreu mais com a crise gerada pela pandemia

A pandemia custou 126 milhões de euros aos cofres do clube de Pinto da Costa, declara a consultora financeira KPMG.

O relatório realizado pela consultora financeira KPMG estudou as consequências que a covid-19 trouxe para os principais emblemas do futebol europeu. O F.C Porto foi o clube que mais sofreu com a crise gerada pelo vírus, segundo este organismo.

Os campeões nacionais em 2019/20 foram "o clube que teve de lidar com a mais elevada queda nos lucros líquidos", na ordem dos 126 milhões de euros, vê-se na imagem publicada no Twitter da KPMG.

Recorde-se que o clube que vence a Primeira Liga entra diretamente para a Liga dos Campeões e recebe um valor fixo de 15,25 milhões de euros, e ainda um montante que varia consoante a sua posição no ranking da UEFA dos últimos dez anos. Assim sendo, o F.C Porto está no nono lugar da tabela, o que corresponde a 26,592 milhões de euros.

A quebra dos lucros verifica-se na “queda de 50% nas receitas operacionais”, neste caso, “provocada por uma quebra nas receitas televisivas”, que decresceu dos “123,5 milhões de euros em 2018/19 para 46 milhões de euros em 2019/20”, fazendo no total uma diferença de 77,5 milhões de euros.

O clube português não foi o único a ficar em maus lençóis. Logo a seguir, está o Barcelona (quebra de 102 milhões de euros), o Borussia Dortmund (61 milhões de euros), a Juventus (50 milhões de euros), o Manchester United (48 milhões de euros), o Olympique Lyon (43 milhões de euros), o Ajax (31 milhões de euros) e o Besiktas (23 milhões de euros).