Sociedade

Penas até 21 anos de prisão para jovens envolvidos no homicídio de filho de ex-PJ no Campo Grande

Pedro Fonseca era estudante de Engenharia e filho de um ex-inspetor da PJ.


O Tribunal Criminal de Lisboa condenou, esta sexta-feira, a penas de 21, 14 e 12 anos de prisão os três arguidos no homicídio de Pedro Fonseca, de 24 anos, durante um assalto em dezembro do ano passado, no Campo Grande, em Lisboa. Os três foram ainda condenados por crimes de roubo, ofensas à integridade física e crimes de dano.

Serifo Baldé, considerado pelo Tribunal o autor material do crime de homicídio, foi condenado a um cúmulo jurídico de 21 anos de prisão. Os outros dois arguidos que participaram no roubo foram punidos com 12 e 14 anos de cadeia.

Um quarto arguido, que foi julgado apenas por recetação, no âmbito de diversos roubos que o grupo terá levado a cabo entre 19 de outubro e 28 de dezembro do ano passado, nas zonas de Sintra e Lisboa, foi absolvido.  

A decisão do tribunal é ainda passível de recurso.

Recorde-se que três dos arguidos estavam sujeitos à medida de coação de prisão preventiva desde o dia 7 de janeiro de 2020, depois de serem detidos pela Polícia Judiciária (PJ). O outro estava sujeito à medida de coação de Termo de Identidade e Residência.

Pedro Fonseca era estudante de Engenharia e filho de um ex-inspetor da PJ.

Os arguidos tinham 20, 18 e 17 anos na altura do crime.