Tautologias

Que fará o Chega com 20%?

Vou explicar a fase por que me parece estar a passar o Chega nesse registo: Acabado de chegar, encontra-se num processo de crescimento e seleção, um processo que Ventura (e as ‘duas ou três’ cabeças qualificadas que me dizem só haver lá por enquanto) tem de conduzir no fio da navalha, porque precisa de votos para crescer.

«Senhor, concede-me a consciência de olhar para a realidade».

Quando era miúdo e brincava com os meus amigos na pequena quinta em que cresci, queria ser índio, Cisco Kid ou Cavaleiro Solitário – heróis do meu Mundo de Aventuras que libertavam a cidade do vilão e partiam... para alívio da gente libertada! No liceu, levávamos à beira de um ataque de nervos jovens professoras inocentes. E o que nos divertíamos a falar de coisas brejeiras com queridas colegas beatas da JEC (juventude católica) ou da Mocidade Portuguesa! Éramos então, para o comissário regional da MP, ‘irrecuperáveis comunistas’. E eu, crente à procura da Fé, era ‘um demónio’ para o padre ultrarreacionário que orientava um grupo de colegas. Soube-o 40 anos depois através da mulher de um deles.

Hoje, que os prazeres raramente me visitam, dá-me um imenso gozo ‘escandalizar’ com o Chega os beatos, idiotas úteis políticos! E como, ao contrário de outros, não preciso de exorcizar ninguém para me sentir seguro nas minhas convicções, falo do Ventura que ‘vejo’ – e não do Ventura como os donos do ‘sistema’, os boys e a comunicação social arranjista ou rendida desejariam que ele fosse.

E o homem ainda não disse um terço do que há para dizer. Será que o dirá, ou antes disso chegará ao poder e... entrará no ‘sistema’? Não é essa, desde Avis, a sina deste povo?

«Continuamos a ser um país atrasado, apesar dos milhões que têm vindo da Europa», acaba de dizer Elisa Ferreira. É preciso lata! Para onde foram tantos milhões? Lembro alguns dados:

Portugal está em antepenúltimo lugar no PIB da Zona Euro e em produtividade do trabalho. E temos a maior dívida externa líquida em % do PIB. E, já agora, mais mortos pelo vírus do que a China, cuja população é 155,5 vezes maior.

Com exceção da Bulgária, estamos atrás dos países saídos da miséria e da escravidão comunista, chegados à UE muito depois de nós. E na educação e leitura é a vergonha que se vê.

E seria ainda pior se o PCP e o BE – que não renegaram a ditadura do proletariado nem assumiram as dezenas de milhões de mortos do estalinismo (e o jornalista de serviço na RTP1 não lhes fez essa pergunta elementar) – tivessem conseguido impor o projeto de albanização que Mário Soares impediu!

Ventura tem bandidos no Chega? Tem de tudo, seguramente, como todos os outros partidos. Alguns do PS e do PSD sabe-se bem o que fizeram – e começam finalmente a entrar na cadeia, graças a Joana Marques Vidal e a procuradores e juízes respeitáveis.

Vou explicar a fase por que me parece estar a passar o Chega nesse registo:

Acabado de chegar, encontra-se num processo de crescimento e seleção, um processo que Ventura (e as ‘duas ou três’ cabeças qualificadas que me dizem só haver lá por enquanto) tem de conduzir no fio da navalha, porque precisa de votos para crescer.

Veremos o que a sua formação católica, honestidade com dinheiro (que não vi contestada), sólida cultura jurídica e convicções democráticas em que nunca o vi falhar farão quando chegar aos 20% e ao poder. Isto é, quando tiver tachos para distribuir a boys.

Ilustro o fenómeno com uma história que Snu Abecassis me contou. Nos comícios do PSD, quando se ouvia o ulular da turba, Sá Carneiro dizia-lhe ao ouvido: «Como hei de segurar esta canalha?» Isto é: como hei de fazer o que devo sem perder os votos da ‘canalha’? No PS, foi sempre a mesma coisa. A diferença, hoje, é que a canalha parece, de algum modo, ter tomado conta dele. Canalha do PS que também já ouvi ulular ao vivo…

E ainda vem aí o temor maior que a construção fantasmagórica de um Ventura vigilante inspira a essa gente. Quando chegarem os milhões para o festim.