Internacional

Lutador de sumo que foi apelidado de "criança mais forte do mundo" morre aos 21 anos

Veja a fotogaleria.

Dzhambulat Khatokhov, lutador de sumo que chegou a ser apelidado de "criança mais forte do mundo” quando tinha apenas três anos, morreu aos 21.

A morte de Khatokhov foi anunciada esta terça-feira por Betal Gubzhev, presidente da Federação de Sumo da Cabárdia-Balcária, região russa onde vivia. A causa da morte não foi revelada, mas a imprensa refere que o lutador russo sofria de graves problema renais.

Dzhambulat Khatokhov atingiu a fama quando tinha apenas três anos de idade, tendo sido considerado a criança mais forte e pesada do mundo. Nessa altura, foi o rosto de diversos documentários e deu que falar também pela preocupação em torno do seu peso e saúde. Com apenas seis anos pesava mais de 95 quilos e aos nove anos era conhecido como “Gladiador” pelos colegas de escola.  

Quando era bebé, Khatokhov precisou de um carrinho com rodas reforçadas, depois de cinco deles se partirem.

Em 2009, Khatokhov foi examinado pelo médico britânico Ian Campbell, que disse que a sua saúde “estava péssima” e alertou para o risco de este desenvolver diabetes, cancro e problemas cardíacos. A sua mãe, enfermeira de profissão, defendeu sempre que levou Khatokhov a vários médicos e nunca nenhum conseguiu encontrar o problema que causava excesso de peso.

“Ele é absolutamente saudável e o seu coração, fígado e tudo o resto são proporcionais ao seu tamanho. Dizem que ele é saudável, então não me preocupo. Eu acredito que ele terá uma vida longa e feliz”, disse a mulher na altura, negando que lhe tenha dado esteroides e encorajando a que o filho fosse chamado de “criança mais forte do mundo”.