Economia

Hotelaria. Quebras na ordem dos 70% em 2020

As receitas do transporte aéreo de passageiros deverão registar uma quebra na ordem dos 60%, atingindo cerca de 2 milhões euros.

A Confederação do Turismo de Portugal (CTP) estima que em 2020 as receitas turísticas se situem nos 8 mil milhões de euros, o que representa um decréscimo de 57%, valor que resulta do ano atípico que fica marcado pela pandemia.  

As receitas do transporte aéreo de passageiros deverão registar uma quebra na ordem dos 60%, atingindo cerca de 2 milhões euros.

De acordo com a entidade liderada por Francisco Calheiros está previsto um impacto negativo de cerca de 10 mil milhões de euros no saldo das contas externas do País colocando em causa o seu equilíbrio obtido nos últimos anos com a contribuição decisiva do turismo. No que respeita ao saldo da balança turística, este deve situar-se nos 6 mil milhões de euros, menos 62% do que em 2019.

A CTP recorda que o turismo foi o motor da recuperação económica de Portugal no período pós resgate financeiro de Portugal em 2011 e o impacto nas exportações foi decisivo para o superavit das contas externas até 2019. “Em 2020 o turismo, na expectativa de mais um ano de crescimento em resultado da afirmação do destino Portugal nos mercados mundiais, é confrontado com o impacto da pandemia. De um cenário inicial de uma crise de três meses com retoma da atividade a partir do princípio do Verão, passou-se à realidade de uma crise que dura há mais de 9 meses e que está longe de chegar ao fim”.

E para a CTP não há dúvidas: “É crucial manter a oferta turística para poder captar a maior quota possível da retoma do Turismo Internacional. Acreditamos que o destino Portugal mantém toda a sua capacidade de atração e que poderá inclusive ser beneficiado em termos de preferência dos turistas no contexto dessa retoma.” conclui o responsável.