Internacional

Deputada escocesa detida por ter viajado de comboio após saber que estava infetada com covid-19

Investigação das autoridades confirmou que, entre os dias 26 e 29 de setembro, Margaret Ferrier viajou entre Glasgow e Londres, de comboio, durante cinco horas.

A deputada escocesa Margaret Ferrier foi detida por viajar infetada com o novo coronavírus, em setembro.

De realçar que a história foi conhecida em outubro. Na altura a polícia abriu uma investigação, depois de Margaret Ferrier admitir que tinha viajado de comboio entre Londres e Glasgow,  sabendo que estava infetada com o novo coronavírus. A deputada acabou por ser suspensa do Partido Nacional Escocês (SNP).

Agora, a política foi detida e acusada de conduta culposa e imprudente. A investigação das autoridades confirmou que, entre os dias 26 e 29 de setembro, Margaret Ferrier viajou entre Glasgow e Londres, de comboio, durante cinco horas, duas vezes. A polícia apurou que, na viagem de ida, a deputada já estaria a sofrer de alguns sintomas ligeiros do vírus, e que, no regresso, já tinha recebido o resultado positivo do teste de diagnóstico à covid-19.

"Podemos confirmar que os agentes hoje prenderam e acusaram uma mulher de 60 anos de idade por alegada conduta culposa e imprudente", revelaram as autoridades.

Nos mesmos dias, a escocesa fez ainda vários discursos no parlamento e visitou várias empresas do círculo eleitoral.

Agora, Ferrier está a ser pressionada pela Câmara dos Comuns e pela líder do SNP para se demitir, tal como já tinha acontecido quando a história foi conhecida. Na altura, Ferrier pediu perdão por não ter respeitado as restrições.