Internacional

Brasil anuncia identificação de nova variante da covid-19

Nova variante apareceu no estado brasileiro do Amazonas e foi detetada no Japão.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) confirmou nesta terça-feira a identificação e circulação de uma nova variante da SARS-CoV-2 que apareceu originalmente no Brasil, no estado do Amazonas.

Esta variante foi detetada no Japão, após quatro viajantes japoneses visitarem a Amazónia brasileira. De acordo com o vice-diretor de investigação da Fiocruz Amazónia, Felipe Naveca, a nova estirpe apresenta uma variedade de 12 mutações nunca ainda vistas.

A nota técnica partilhada nesta terça-feira explica que as amostras analisadas nos japoneses reúnem um número “incomum” de alterações genéticas, além da já conhecida proteína “spike” e que “se assemelham ao padrão observado” nas variantes encontradas no Reino Unido e na África do Sul, o que pode significar um enorme potencial de transmissão do vírus.

"Se essas mutações conferirem alguma vantagem seletiva para a transmissibilidade viral, devemos esperar um aumento da frequência dessas linhagens virais no Brasil e no mundo nos próximos meses", indica o documento da Fiocruz.

De acordo com o texto, as mutações detetadas são um "fenómeno recente, provavelmente ocorrido entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021", e "podem ser representantes de uma linhagem emergente no Brasil".

O aparecimento coincidente de novas variantes de covid-19 em diferentes países do mundo indica "mudanças convergentes na evolução" do patógeno, o que levou a aumentar a preocupação da comunidade médica e científica no mundo.

"O surgimento de novas variantes de Sars-CoV-2 que abrigam mutações na proteína 'Spike', que podem ter impacto na aptidão e na transmissibilidade viral, tem sido motivo de grande preocupação", sublinhou a Fiocruz na nota técnica.

A variante encontrada no estado do Amazonas não é a primeira nova estirpe do coronavírus a ser identificada no Brasil. No final do mês de dezembro, um grupo de investigadores detetou uma variação do patógeno no estado do Rio de Janeiro, que é uma das regiões mais infetadas com covid-19 no Brasil, juntamente com o estado do Amazonas.