Politica

Santana Lopes deixa Aliança

Antigo primeiro-ministro considera que "chegou o momento" de sair do partido que fundou em 2018. Em entrevista ao Nascer do SOL, Santana Lopes tinha dito que a Aliança, com ele, "falhou", mas garantiu que a sua vida política não acabou, não fechando a porta a um eventual regresso ao PSD.

Pedro Santana Lopes desfiliou-se da Aliança, partido que fundou, em 2018, e do qual foi presidente.

"A Comissão Executiva do Aliança tomou conhecimento no domingo à noite do pedido de desfiliação do militante e fundador do partido, Pedro Santana Lopes", anunciou o partido em comunicado, esta segunda-feira, informando que o antigo primeiro-ministro endereçou uma carta ao atual presidente da Aliança, Paulo Bento, na qual assume que “chegou o momento” da desfiliação, e que este é “um momento de uma intensidade emocional grande”.

Santana Lopes considerou, de acordo com a mesma nota, que o futuro do partido “só poderá existir” sem si e justifica que, entre as várias razões, a principal é a identificação que os portugueses fazem de si com o PSD.

Na carta endereçada a Paulo Bento, o antigo primeiro-ministro destaca ainda que deu “tudo aquilo de que era capaz” e pede “desculpa por não ter conseguido melhores resultados”. Santana Lopes sublinhou também que um partido não é de ninguém, é dos seus militantes", e deixa-lhes "o reconhecimento e orgulho" por terem "lutado juntos por Portugal".

Recorde-se que foi no final de agosto que a Aliança anunciou que Santana Lopes iria deixar a liderança do partido. Recentemente, em entrevista ao Nascer do SOL, Santana Lopes disse que a Aliança, com ele, “falhou”, mas garantiu que a sua vida política não acabou. O fundador da Aliança admitiu ainda que facto de ser uma personalidade forte dentro do PSD e ter mudado de partido não ajudou a que aquela força política tivesse mais sucesso.

Sem querer “falar” na altura sobre uma possível saída do partido, Santana Lopes referiu que as pessoas já tinham entendido “a orientação do caminho” que estava a seguir. Recorde-se que em meados de dezembro, o líder do PSD, Rui Rio, jantou com Pedro Santana Lopes, mas afastou qualquer intenção política no encontro, recusado responder se Santana Lopes seria um bom candidato autárquico. Ao Nascer do SOL, Santana Lopes admitiu candidatar-se a uma câmara se lhe derem tempo para pensar e disse que não fecha a porta a um eventual regresso ao PSD.