Economia

NAV Portugal exporta projeto MARIA para a Hungria

O projeto MARIA, criado de raiz pela NAV Portugal desde 2012, tem despertado interesse de vários países. O projeto tem sido apoiado pelo Eurocontrol e já foi aplicado na torre de controlo de Hamburgo.


A NAV Portugal e a HungaroControl assinaram um contrato para o fornecimento do Model of ATM Reality in Action (MARIA), projeto desenvolvido internamente pela NAV, ao prestador de serviços de navegação aérea húngara (ANSP). O contrato foi assinado em dezembro e inclui acesso ao software da NAV, licença de uso e formação para equipas húngaras.

A assinatura do contrato com o fornecedor húngaro ocorre alguns meses o acordo acordo assinado entre a NAV e a Bulatsa, o ANSP da Bulgária. O projeto MARIA tem despertado o interesse de vários congéneres da NAV, na Alemanha, Eslováquia, Espanha ou Áustria, tendo o projeto sido reconhecido e apoiado pelo Eurocontrol e já aplicado na torre de controlo de Hamburgo.

Em Portugal, o MARIA é utilizado em todos os órgãos da região de informação de voo de Lisboa – centro de controlo de Lisboa e torres de controlo do Porto, Lisboa, Cascais, Faro, Porto Santo e Funchal –, bem como no controlo oceânico de Santa Maria e torre de controlo desse mesmo aeroporto. O MARIA é usado tanto para avaliações de segurança como para a descrição de sistemas funcionais e possíveis mudanças e permite avaliar os impactos que as alterações técnicas, operacionais ou processuais de cada área têm nas demais, permitindo a contenção de efeitos indesejáveis logo numa fase inicial, melhorando a eficácia das avaliações de segurança.

“A NAV Portugal tem o orgulho de compartilhar o modelo MARIA com a HungaroControl. Esperamos que este primeiro passo seja bem-sucedido e abra caminho para uma cooperação futura”, comentou Paula Santos, da Direção de Estudos e Projetos da NAV Portugal e responsável pelo projeto MARIA.

Já Mihály Kurucz, diretor de segurança e gestão da qualidade e auditoria Interna da HungaroControl, explicou que “de acordo com nossas expectativas, o MARIA proporcionará vantagens em várias áreas, como a avaliação e monitorização de riscos de segurança. Como o modelo traz uma visão geral holística do sistema funcional, ele apoia o escopo das mudanças e fornece uma referência comum para avaliações de risco, permitindo obter um resultado mais sofisticado e sistemático. Do ponto de vista da monitorização, permite-nos vincular questões recentes às mudanças anteriores. Assim, podemos validar os resultados das avaliações de segurança de forma mais objetiva”.

Para além do reconhecimento dos próprios pares, o projeto MARIA foi também reconhecido pela CANSO, em 2019, como um dos oito projetos que mais contribuíram para a redução dos riscos na aviação.

Criado de raiz pela NAV Portugal desde 2012, o projeto baseou-se numa série de entrevistas a gestores e utilizadores de sistemas de controlo de tráfego aéreo, complementadas pela observação de operações reais, evoluindo com a sua utilização. O MARIA tem como objetivo compilar e sistematizar informações principalmente do sistema de controlo de tráfego aéreo, incluindo não só as funções de responsabilidade exclusiva da NAV, mas também as da comunidade com a qual a ANSP interage. O modelo documenta as interdependências entre funções, fluxos de informação, recursos e procedimentos de diferentes áreas, juntamente com os regulamentos nacionais e internacionais aplicáveis.

Atendendo ao interesse que despertou desde o início, a NAV Portugal manté, disponibilidade para partilhar e apoiar a implementação do MARIA noutros ANSP e encontra-se agora a finalizar termos para o fornecer a outros países.