Sociedade

Governo manda escolas preparar ensino online

"Tendo as escolas, na preparação do ano letivo, previsto o funcionamento em regime não presencial, este deve estar preparado para poder ser ativado", lê-se num e-mail enviado às escolas.

O Governo ordenou na passada quinta-feira, 21 de janeiro, a suspensão de todas as atividades letivas durante um período de 15 dias – até dia 5 de fevereiro. No mesmo dia, o Ministério da Educação enviou um e-mail aos estabelecimentos de ensino com orientações para se prepararem para o ensino online, avança o Correio da Manhã.

No e-mail, assinado pelo diretor-geral dos Estabelecimentos Escolares, são dadas "instruções e recomendações" para o ensino à distância. "Tendo as escolas, na preparação do ano letivo, previsto o funcionamento em regime não presencial, este deve estar preparado para poder ser ativado", lê-se.

No sentido de apoiar o ensino online, as escolas irão ter acesso a plataformas de editoras, bem como a outros recursos necessários, à semelhança do primeiro confinamento.

Se as aulas online regressarem a 8 de fevereiro, após a suspensão das atividades letivas, cerca de 200 mil alunos beneficiários do apoio da Ação Social Escolar podem ser prejudicados. Uma vez que, segundo o Correio da Manhã, o Governo ainda só entregou 100 mil computadores aos cerca de 300 mil estudantes abrangidos pelo apoio.

Ao Jornal de Notícias, o Ministério da Educação esclarece que o e-mail continha "várias informações redundantes, mas necessárias para que toda a organização escolar ocorra devidamente", o que não indica uma decisão do Governo.