Sociedade

Navio do século XVII descoberto em obras na Av. 24 de Julho em Lisboa

Vestígios da embarcação com 27 metros de comprimento destacam-se pela dimensão e pelo bom estado de conservação.

Uma equipa de arqueólogos descobriu vestígios “muito bem preservados” de um grande navio do final do século XVII numa obra na Avenida 24 de Julho, em Lisboa.

A Direção-Geral do Património Cultural afirmou, à agência Lusa, que “os vestígios arqueológicos, identificados numa obra na Avenida 24 de Julho, em Lisboa, correspondem a uma embarcação com cerca de 27 metros de comprimento, datada dos finais do século XVII/inícios do XVIII, preparada para a navegação atlântica, e que se encontra muito bem preservada”.

“Comparativamente a outras embarcações encontradas na [zona] envolvente, sob o edifício da sede corporativa da EDP, esta [embarcação] destaca-se pela dimensão dos elementos preservados, como o comprimento máximo entre as partes do casco mais salientes à proa e à popa”, adiantou o mesmo organismo.

Os vestígios da embarcação, encontrados por uma equipa da ERA Arqueologia, incluem a quilha, o arranque da proa a sobrequilha, com carlinga, escoas e tábuas dos forros interior e exterior.

O estado de conservação “é particularmente bom”, segundo um relatório sobre a descoberta, não havendo casos em melhor condição no território nacional.

A obra onde foi descoberto o navio, e onde agora decorrem escavações arqueológicas, situa-se na zona entre a rua D. Luís I, o boqueirão dos Ferreiros e a avenida 24 de julho, onde se irão construir novos edifícios destinados a um hotel e a apartamentos.