Sociedade

Idoso foi dado como morto no Hospital de Oliveira de Azeméis e estava vivo

Família realizou funeral.


Um paciente foi dado erroneamente como morto, depois de uma troca de identidade no Hospital de Oliveira de Azeméis. Foi mesmo realizado um funeral em memória do homem, de 92 anos.

De acordo com o filho, Aureliano Vieira, citado pela agência Lusa, o homem dado morto por engano é de Milheirós de Poiares, Santa Maria da Feira, e estava internado com problemas respiratórios no Hospital de Oliveira de Azeméis, que pertence ao Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga (CHEDV).

Segundo a mesma fonte, foi no passado dia 10 que a família recebeu a informação de que o pai tinha morrido por causas associadas à covid-19. "Como era por causa do covid-19, não permitiram que se fizesse o reconhecimento do corpo. Limitamo-nos a fazer o funeral, já no dia 12. Mais tarde, mandamos mesmo celebrar a missa do sétimo dia. Já hoje de manhã, vieram dizer-nos do hospital que o nosso pai estava vivo e pediram desculpas pelo erro", revelou.

"E, felizmente, está vivo. Já confirmei", afirmou, acrescentando ainda que desconhece de quem é o corpo que o hospital presumia ser do seu pai.

 "Ainda estou atónito. Tenho de falar com outros familiares", disse à agência noticiosa, após ser questionado sobre o que irá fazer.

Fonte do CHDEV confirmou à Lusa a troca de identidades numa enfermaria da unidade de Oliveira de Azeméis e lamentou "profundamente" o sucedido, acrescentando que o conselho de administração do Centro Hospitalar já entrou em contacto com as famílias.