Vida

Atriz portuguesa Lídia Franco diz ter sido agredida por Adam Driver

Agressão terá ocorrido nas gravações do filme 'O Homem Que Matou D. Quixote'.


A atriz portuguesa Lídia Franco diz ter sido agredida pelo ator Adam Driver nos bastidores do filme 'O Homem Que Matou D. Quixote'. "Ele portou-se muito mal comigo. Fisicamente", disse a atriz no podcast da Rádio Comercial, 'Era O Que Faltava'.

A atriz, de 76 anos, afirmou que as gravações do filme se tornaram numa "péssima experiência por causa de Adam Driver", que nas suas palavras é "extraordinário como ator", mas uma "péssima pessoa". "Agrediu-me, sim, na cena, mas não tinha nada a ver com a cena", revelou. 

O ator – conhecido por dar vida a Kylo Ren na saga de 'Star Wars' e por protagonizar 'Marriage Story' e 'BlackKkKlansman' – também terá tornado as gravações num inferno para os restantes membros da equipa. 

“Uma das coisas que ele começou por fazer em Espanha foi exigir que nos ensaios, todos os técnicos saíssem do plateau. Ele exigia isso e continuou a fazê-lo em Portugal, mas alguns técnicos portugueses negaram-se. Dizia ‘virem-se de costas’, e vi pelo menos um a sair do estúdio”, afirmou. “Ele exigia, acho que por contrato, que ninguém podia olhar para ele. Se olhassem, os figurantes eram imediatamente despedidos — o que aconteceu”.

Face à atitude de Adam Driver, a produção estava "de mãos atadas". “Vieram ter comigo e disseram: ‘Lídia, é horrível isto que ele lhe está a fazer, mas por contrato não podemos fazer nada. Você é livre, se quiser, de abandonar. E eu disse que não abandono este filme. Fiquei ali a levar com ele, salvo seja.”, contou.