Internacional

Mais de 80 pessoas detidas por venderem vacinas falsas contra a covid-19

Os suspeitos já estavam a lucrar com estas vacinas desde setembro de 2020.

 

A China realizou buscas para encontrar vacinas falsas contra a covid-19 e deteve mais de 80 pessoas e confiscou 3 mil doses falsas. Os suspeitos já estavam a lucrar com esta contrafação desde setembro de 2020, avança o jornal The Global Times.

O caso foi resolvido com as autoridades policiais de Pequim e das províncias de Jaingsu e Shandong, no leste de China, segundo a agência noticiosa Xinhua informou nesta segunda-feira.

Apesar de terem rastreado todas as vacinas falsas, a polícia chinesa não sabe para onde estas vacinas se destinavam. De acordo com uma fonte do Global Times, a comercialização da vacina seria para o exterior do país.

O especialista em vacinas, Tao Lina, assegurou que "as 'vacinas', cheias de soro fisiológico, não surtem efeito, mas também não causam problemas de saúde, por isso é claro que os suspeitos queriam dinheiro", citado pelo jornal.

Com esta detenção, o Ministério de Segurança Pública da China está a promover uma campanha especial para reprimir a produção e a venda ilegal de vacinas falsas contra o novo coronavírus, contrabando e vacinação ilegal.

Recorde-se que no dia 28 de janeiro, a farmacêutica chinesa Sinovac, que produziu uma das vacinas a circular no país asiático, publicou um comunicado no qual avisava que certas "empresas e indivíduos" falsificaram e usavam documentos de autorização da empresa para terem o reconhecimento como "distribuidores da vacina CoronaVac contra a covid-19 e outros produtos de vacinação em mercados fora da China".