Politica

Ventura reage a entrevista de Rui Rio e diz que líder do PSD é "o porta-estandarte do PS"

“Na minha perspetiva, 'bazófia' é esquecer-se de fazer oposição e de assumir-se como líder do principal partido da oposição, 'bazófia' é falar em moderação, mas não ser mais do que um porta-estandarte do primeiro-ministro, António Costa”, reagiu Andé Ventura.


O presidente do Chega respondeu, esta terça-feira, às declarações de Rui Rio, que acusou Ventura, em entrevista à TVI, de ter um discurso de “bazófias” e o partido de ser uma "federação de descontentamento"

"Rui Rio acusou ontem o Chega e a mim próprio de 'bazófia', relativamente ao futuro cenário da direita em Portugal. Na minha perspetiva, 'bazófia' é esquecer-se de fazer oposição e de assumir-se como líder do principal partido da oposição, 'bazófia' é falar em moderação, mas não ser mais do que um porta-estandarte do primeiro-ministro, António Costa. Rio é, neste momento, o porta-estandarte do PS", reagiu André Ventura, em declarações à agência Lusa.

Para o líder do Chega, "enquanto assim for, não há caminho para fazer à direita". Ventura deixou ainda o aviso: "Se Rio deseja um Governo de bloco central com o PS, força nisso, mas não contem com o Chega".

Em relação à expressão “federação de descontentes”, usada pelo líder social-democrata para descrever o Chega, Ventura disse que “Rio talvez tenha alguma razão”, mas fez a ressalva: “São, essencialmente, descontentes do PSD, que deixaram de acreditar num partido que deveria ser oposição responsável, são essencialmente descontentes com o trabalho do próprio Rio".

O deputado do Chega aproveitou ainda a ocasião para deixar um conselho a Rio: "O líder do PSD deveria meditar nas suas próprias palavras: o que trouxe o PSD até este estado nas sondagens? Como se chegou ao ponto de abandonar o eleitorado de direita e antissistema?".