Politica

PSD quer audição urgente do Ministro da Educação no Parlamento

Na iminência de se iniciarem as aulas online, o PSD considera que é urgente compreender qual é o ponto de situação.

O grupo parlamentar do PSD entregou, esta quarta-feira, um requerimento para que o ministro da Educação seja ouvido, com caráter de urgência, na Comissão de Educação, Ciência, Juventude e Desporto e na Comissão Eventual para o acompanhamento da aplicação das medidas de resposta à pandemia da doença covid-19 e do processo de recuperação económica e social.

No documento, os sociais-democratas consideram que o “país deveria estar preparado para enfrentar o cenário possível e provável de um novo confinamento forçado da comunidade escolar. Mas, ao que parece, não está”.

“Os diretores das escolas queixam-se da falta de 300 mil computadores e de técnicos de informática. A capacitação dos docentes em ferramentas digitais ainda não teve início. A produção de conteúdos específicos e de ferramentas adicionais para o acompanhamento dos alunos não saiu do papel. Um conjunto de bloqueios e falhas estruturais e graves que não poderão ser contornas ou resolvidas em apenas duas semanas”, lê-se.

Na iminência de se iniciarem as aulas online, o PSD considera que é urgente compreender qual é o ponto de situação, “que afetará toda a comunidade educativa, e qual é o cenário que se coloca a partir do dia 5 de fevereiro se o confinamento se mantiver”.

O grupo parlamentar do PSD defende que é “fundamental garantir o cabal cumprimento da garantia dada pelo governo de que todos os alunos serão contemplados, as desigualdades serão mitigadas e tudo está a ser feito para que ninguém fique para trás. Bem como compreender que plano está a ser pensado para o regresso às aulas, nomeadamente em relação aos processos de testagem e vacinação”.

O requerimento é assinado pelos deputados Ricardo Baptista Leite, Luís Leite Ramos, Cláudia André, António Cunha, Filipa Roseta e Rui Cristina.