Sociedade

Um amor em alta velocidade

Conheceram-se há pouco mais de um ano e desde então não mais se largaram. Ela, ex-piloto de rally e primeira piloto portuguesa a competir nas provas do deserto. Ele, milionário herdeiro da família Agnelli, dona da Fiat e da Juventus. Um ano depois, Joana Lemos e Lapo Elkann preparam-se para dar o nó.

Um amor em alta velocidade

Une-os o amor pela velocidade e pelo automobilismo e foi em Portugal que se conheceram. Um namoro de cerca de um ano que chega agora ao ‘sim’. Falamos da ex-piloto Joana Lemos e de Lapo Elkann, herdeiro da Fiat, que anunciaram recentemente o seu noivado.

É uma história de amor digna de um conto de fadas. O casal conheceu-se em janeiro do ano passado num jantar organizado pelos tios de Elkann e desde então não mais se largou. Pouco depois, com o início da pandemia de covid-19 em Portugal, passaram juntos quatro meses de confinamento e lançaram uma importante campanha para ajudar a combater a fome e a pobreza que o coronavírus reforçou. No total, conseguiram reunir mais de quatro milhões de euros e ainda mais de 400 toneladas de comida em Itália, Portugal, Israel e Espanha, ajudando instituições como a Cruz Vermelha e o Banco Alimentar.

Esta ação de solidariedade – que fez com que o casal passasse mais tempo junto – foi também um passo importante para reforçar o amor que foi crescendo. O pedido de casamento surge agora e as declarações de Elkann são, claro, as de um homem apaixonado. «Aos 43 anos, quero construir um futuro e uma família ainda maior, porque vejo na Joana a mulher, a mãe e a pessoa com quem quero passar a minha vida», disse Elkann em entrevista exclusiva à revista italiana Chi.
Foi amor à primeira vista, como aqueles dos filmes e o milionário não tem dúvidas que este é o passo certo na relação com a ex-piloto. «Quando a vi, senti o clássico amor à primeira vista. Fiquei paralisado pelo seu olhar, a sua tenacidade, a sua força e a sua história», confessou à mesma revista.

O milionário desvendou ainda pormenores sobre o anel de noivado: «É um anel que combina tradição e inovação, paixão e amor. Entre nós não há segredos, e isso vai desde os códigos do telemóvel até ao lado mais sombrio de nossa personalidade». 

Dois passados distintos 

E se agora Joana Lemos e Elkann mostram ter muito em comum, o passado mostrou-lhes caminhos diferentes. 
Joana Lemos tem 47 anos e nasceu em Lisboa. Tinha apenas seis anos quando o desporto entrou na sua vida, tendo praticado natação, ténis, ginástica e mini-trampolim. Foi nas motas que começou a dar cartas entre 1990 e 1995, mas passou para os automóveis no ano seguinte. Participou primeiro em provas todo-o-terreno mas o amor pelo automobilismo fê-la chegar à alta competição. Fez história ao ter sido a primeira piloto portuguesa a competir nas provas do deserto e a mais nova de todo mundo a concluir em automóvel a Taça das Senhoras do Paris-Dakar, prova que venceu em 1997. Foi por Joana Lemos, através da Lagos Sport, que o Dakar chegou a Portugal no ano de 2006. A piloto foi casada durante mais de 18 anos com Manuel Reymão Nogueira de quem tem dois filhos. 

Mas se Joana Lemos teve uma relação durante quase toda a vida, o mesmo não se pode dizer do futuro marido que tem fama de ser playboy. Lapo, irmão de John Elkann, presidente da Fiat Chrysler Automobiles, é conhecido pela sua vida de excessos, que envolvem mulheres e drogas. O milionário foi ainda acusado de fingir o próprio rapto para conseguir 10 mil euros, para pagar dois dias de sexo, álcool e drogas.

Herdeiro milionário de uma das maiores fortunas italianas, o noivo de Joana Lemos esteve em coma durante dias depois de um acidente de viação em Tel Aviv. Depois de recuperar, foi claro nos seus projetos para o futuro: «Quero agradecer a Deus por me dar a oportunidade de viver novamente. Quero dedicar o meu tempo, o meu coração e os meus recursos económicos a fazer o bem». Coincidência ou não, surgem depois os atos de solidariedade que o juntaram a Joana Lemos.

Os comentários estão desactivados.