Cultura

O longo caminho de Ben Affleck

Com um longo historial de alcoolismo, amigos íntimos do protagonista de Argo e Gone Girl temem que o final da relação de Affleck com Ana de Armas coloque o ator numa espiral descendente.

Foi notícia em inúmeras revistas cor de rosa, um dos casais mais badalados de Hollywood, Ben Affleck e Ana de Armas, ator vencedor de dois Óscares e a ex-Bond Girl, considerada uma das maiores promessas do cinema, anunciaram oficialmente que iriam colocar um ponto final na relação que durava há um ano.

«Foi ela que terminou a relação. O relacionamento deles era complicado. A Ana não quer morar em Los Angeles e o Ben precisa, obviamente, porque os filhos moram em Los Angeles», disse uma fonte próxima do casal à revista People. «Eles estão em fases diferentes das suas vidas. Há um profundo amor e respeito entre ambos», contou outra fonte. O fim da relação levantou grandes preocupações no círculo mais próximo do ator devido ao consumo excessivo de álcool no passado. 

O momento mais preocupante deste vício, confessou o protagonista de filmes como Argo ou Gone Girl ao podcast Awards Chatter, foi durante as gravações do filme Liga da Justiça, estreado em 2017, onde desempenhou o papel de Batman, uma vez que tinha acabado de se divorciar de Jennifer Garner, atriz com quem esteve casado durante 13 anos e com quem teve três filhos. 

«Bebia whisky sozinho na sala até desmaiar», revelou o ator ao Hollywood Reporter, ele que já esteve diversas vezes internado em clínicas de reabilitação e cuja família possui um historial de excessos e depressões crónicas: o seu pai, Timothy, também ator, era alcoólico, assim como o seu irmão, Casey (vencedor de Óscar, pela sua performance no filme Manchester by the Sea), a tia era viciada em heroína e a avó e tio suicidaram-se.

Os ‘demónios’ de Affleck são bastante conhecidos e o ator sempre foi bastante aberto em relação a este problema. 
No ano passado, quando estava a gravar o filme O Caminho de Volta (além de protagonizar, era suposto Affleck realizar o filme, contudo, quando começou a pré-produção, o ator estava na reabilitação), em que interpretou um treinador de basquetebol que sofre de alcoolismo, enquanto filmava uma cena onde tinha de enfrentar a sua mulher fictícia e pedir-lhe desculpa pelo seu comportamento, o realizador Gavin O’Connor revelou que o ator teve um «colapso».

«Estou a ter arrepios só de pensar nisso», descreveu O’Connor à Associated Press. «Lembro-me de a equipa ficar congelada enquanto o viam a expor a sua alma. [Naquele diálogo] estavam muitas coisas que ele queria dizer sobre a usa própria vida ou que talvez já tenha dito», revelou.

Affleck explicou que agora tem este vício mais controlado, fruto também da sua relação com Ana de Armas, de 32 anos, que segue um estilo de vida saudável e que, segundo amigos do casal, foi uma boa influência para o ator. 
No entanto, o vício do álcool (e outros) parece ser um problema que assombra diversos membros da elite de Hollywood.
«Se soubessem quantos atores, realizadores e guionistas são alcoólicos ou compulsivos de alguma forma, é das coisas mais comuns no mundo em Hollywood», contou também o ator ao Hollywood Reporter.