Internacional

Dinamarca e Noruega recomendam não administração da vacina da AstraZeneca em maiores de 65 anos

Estes países juntam-se a outros europeus que já tinham tomado uma decisão semelhante, como Alemanha, Áustria, Bélgica, França, Itália ou Suécia. Vacina da AstraZeneca começa a ser administrada na próxima semana na União Europeia. 


A Dinamarca e a Noruega recomendaram, esta quinta-feira, a não administração da vacina da AstraZeneca contra a covid-19 em maiores de 65 anos, devido à falta de informações sobre a sua eficácia e segurança em pessoas mais velhas. Estes países juntam-se a outros europeus que já tinham tomado uma decisão semelhante, como Alemanha, Áustria, Bélgica, França, Itália ou Suécia. 

"Revimos a documentação e até que vejamos mais dados sobre o efeito em idosos, a nossa recomendação é que a vacina AstraZeneca seja principalmente uma oferta para pessoas com menos de 65 anos sem risco de uma evolução grave de covid-19", observou a Direção-Geral da Saúde da Dinamarca, sobre a vacina que vai começar a ser administrada na próxima semana na União Europeia (UE).

Já o Instituto de Saúde Pública da Noruega – país que não pertence à UE, mas pertence ao Espaço Económico Europeu – afirma que "a documentação é muito limitada". "Não é pelo facto de a vacina não funcionar em idosos, mas porque a documentação é muito limitada. Muito poucas pessoas com mais de 65 anos participaram nos estudos, de modo que o seu efeito sobre elas não pode ser documentado", explicou Camilla Stoltenberg, diretora do Instituto. 

A vacina da AstraZeneca foi aprovada pela Agência Europeia do Medicamento na passada sexta-feira, dia 29 de janeiro. Em comunicado, reconheceu que nos ensaios clínicos realizados participaram na maioria pessoas com entre 18 e 55 anos, não havendo assim resultados suficientes na faixa etária superior.