Sociedade

Magina da Silva diz que declarações sobre reestruturação do SEF foram "descuido bondoso"

Em entrevista à TSF, esta quinta-feira, Magina da Silva recordou o momento em que, após uma reunião com o Presidente da República, em dezembro, disse que estava a ser trabalhada a fusão da PSP com o SEF.

O diretor nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP), Magina da Silva, admitiu que cometeu um erro ao falar sobre a fusão da PSP com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) cedo demais, referindo que se tratou de um "descuido bondoso".

Em entrevista à TSF, esta quinta-feira, Magina da Silva recordou o momento em que, após uma reunião com o Presidente da República, em dezembro, disse que estava a ser trabalhada a fusão da PSP com o SEF.

Questionado sobre o ponto de situação da reestruturação do SEF, Magina da Silva disse que não iria repetir o mesmo erro.

"Já cometi um erro uma vez e não vou cometer outro de dar a minha opinião pessoal sobre determinados assuntos de reestruturação de sistemas de segurança interna. Não o vou fazer obviamente. Temos que aprender com os nossos erros. Tenho a minha opinião pessoal que guardarei para mim. Aguardarei a decisão de quem direito relativamente a esse processo", disse.

Recorde-se que depois das declarações do diretor nacional da PSP, o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, disse, em declarações à agência Lusa, que a projetada reforma do SEF seria anunciada "de forma adequada" pelo Governo "e não por um diretor de Polícia".

Na entrevista desta quinta-feira, Magina da Silva disse que foi um “descuido bondoso” e que pediu desculpa a Eduardo Cabrita.  

"Pedi-lhe desculpa imediatamente quando tive a noção da dimensão da extrapolação das palavras que proferi. Como digo um descuido bondoso. Aprendo com os meus erros, aprendi. O senhor ministro percebeu que foi um descuido bondoso e não afetou o nosso relacionamento institucional", afirmou.