Economia

Novo confinamento provoca recuo na criação de novas empresas

Nascimento de empresas cai 29% na primeira quinzena de janeiro e 56% na segunda.

Em janeiro de 2021 nasceram em Portugal 3141 novas empresas, menos 43% do que em janeiro de 2020. As conclusões são do Barómetro Informa D&B, divulgado esta terça-feira.

O estudo realça, no entanto, uma diferença entre a primeira e a segunda quinzena de janeiro, com o início do novo confinamento, mostrando a sensibilidade deste indicador às medidas mais restritivas decretadas para combater a pandemia de covid-19. Na primeira quinzena de janeiro a redução na criação de novas empresas foi de 29%, valor que caiu ainda mais para os 56% na segunda quinzena, um comportamento semelhante ao que se verificou no primeiro confinamento geral, em março e abril de 2020.

Por outro lado, os números da segunda quinzena de janeiro parecem também indicar que existe uma relativa adaptação do empreendedorismo à situação de pandemia, pois apesar da nova queda ela já não foi tão acentuada como a que se verificou no primeiro confinamento geral.

Os últimos 12 meses mostram que a criação de empresas anda a par das medidas restritivas, sendo mais afetada quanto mais severas são estas medidas. Este indicador caiu a pique quando foi decretado o primeiro estado de emergência e o primeiro confinamento, com uma redução de 78% na criação de empresas na segunda quinzena de março, uma baixa que se manteve durante o mês de abril. Em maio e junho, o alívio nas restrições provocou um aumento nas novas empresas e, no verão, andou muito perto dos valores registados em 2019. Após um ligeiro recuo no outono com novas restrições, voltou agora a cair.

A queda na criação de novas empresas em janeiro é transversal a todos os setores de atividade e regiões, mas é mais expressiva nos distritos do litoral, em especial em Lisboa, região que é responsável por quase metade da descida total.

Insolvências aumentam. Os números de insolvências mensais têm-se revelado muito instáveis, com o ano de 2020 a terminar com um ligeiro aumento de novos processos de insolvência de 3,2% face a 2019 (mais 71 casos). Em janeiro de 2021, 187 empresas iniciaram um processo de insolvência, menos 30 casos (-14%) que no período mesmo período do ano passado.