Politica

"A última coisa que faria era culpar portugueses", diz Siza Vieira sobre artigo no NYT

Ministro da Economia esclarece declarações feitas ao jornal norte-americano e que geraram polémica.

O ministro do Estado, da Economia e da Transição Digital afirmou, esta quarta-feira, que a "última coisa que faria era culpar portugueses ou enjeitar responsabilidades" sobre o período de Natal e o aumento de casos de covid-19.

As declarações de Pedro Siza Vieira foram feitas em resposta a uma questão do PSD sobre a entrevista que deu recentemente ao The New York Times, que citou o governante ao escrever que "as evidências da mobilidade no país mostram" que os portugueses "não respeitaram as restrições" no Natal.

O ministro esclareceu que tinha tido uma "conversa longa" com o jornalista daquela publicação de referência, durante a qual tinha sido questionado sobre a razão para o aumento do número de infetados com covid-19 no país.

"Disse que não tínhamos certezas absolutas", explicou o ministro, apontando uma conjugação de fatores, que inclui o "aumento da mobilidade durante o período", a "redução de testes" e a "penetração da variante inglesa".

"A última coisa que faria era culpar os portugueses ou enjeitar responsabilidades", sublinhou Pedro Siza Vieira.

O ministro está a ser ouvido, no âmbito de audição regimental, na comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação.