Internacional

Rede criminosa entrou em telemóveis de celebridades e roubou cerca de 82 milhões de euros

Através da técnica de fraude SIM-swapping, os criminosos atacaram "milhares de vítimas ao longo do ano de 2020, incluindo influenciadores famosos da Internet, estrelas do desporto, músicos e respetivas famílias", revela a Europol.


A operação comandada pela Europol descobriu uma “rede composta por uma dúzia de criminosos que trabalhava em conjunto para aceder aos números de telemóvel das vitimas e assumir o controlo das suas aplicações ou contas alterando as palavras-passe”, anunciou o Serviço Europeu de Polícia em comunicado, esta quarta-feira.

A investigação internacional, coordenada pela Europol, começou na primavera de 2020 e contou com a participação de várias autoridades policiais de cinco países: Reino Unido, Estados Unidos, Bélgica, Malta e Canadá.

Foram detidos oito criminosos que estavam ligados ao gangue, esta terça-feira, após outras duas detenções: na Malta e na Bélgica. 

"Os ataques orquestrados pela rede criminosa fizeram milhares de vítimas ao longo do ano de 2020, incluindo influenciadores famosos da Internet, estrelas do desporto, músicos e respetivas famílias", revela a Europol.

O gangue terá conseguido roubar mais de 100 milhões de dólares – cerca de 82 milhões de euros – em moedas virtuais, depois de aceder ilegalmente os telemóveis das vítimas, através de uma prática criminal conhecida como “SIM-swapping”, uma troca de SIM para ter acesso a contas pessoais por uma falha na autenticação de dois fatores.

Com o acesso aos dados, o gangue roubou dinheiro, moedas virtuais e ainda informações pessoais, dos quais contactos sincronizados com contas online.

Assim, os criminosos invadiram contas de redes sociais para publicarem conteúdos e enviarem mensagens como se fossem os verdadeiros donos do perfil.

Segundo o Serviço Europeu de Policia, o “SIM-swapping” é um tipo de fraude que se tem tornado numa “tendência chave no aumento da última avaliação da ameaça do crime organizado na Internet da Europol".

Com esta técnica, os “hackers” obtêm total controlo do telemóvel da vitima através do número, desativando o SIM – o chip que guarda todos os dados no aparelho – e transferindo o número alocado para um SIM de um membro da rede criminosa.

Antes de fazer a troca, os criminosos "exploram operadores de telecomunicações para fazer a troca em seu nome, seja por meio de um infiltrado corrupto ou usando técnicas de engenharia social".

Ainda no comunicado, a Europol explica que este crime não acontece apenas a celebridades e que “qualquer pessoa com um telemóvel pode ser vítima de SIM-swapping".

Aqui tem algumas dicas para que possa proteger deste tipo de fraude:

  • Atualize o software dos seus dispositivos sempre que possível
  • Não responda a e-mails duvidosos nem forneça as suas informações pessoas por conversas com pessoas no telemóvel
  • Estabeleça um mínimo de quantidade de dados pessoas que quer partilhar online
  • Experimente usar a autenticação de dois fatores para os seus serviços online, em vez de solicitar um código de autenticação enviado por SMS
  • Evite associar o seu número de telemóvel a contas online confidenciais, só apenas em casos necessários