Sociedade

Mais de cem enfermeiros responderam ao apelo da Ordem e vão reforçar cuidados intensivos

"Em menos de 24 horas, 124 enfermeiros responderam favoravelmente ao apelo, manifestando disponibilidade para integrarem as unidades de cuidados intensivos", anunciou a Ordem dos Enfermeiros.


Mais de cem enfermeiros responderam ao apelo da Ordem dos Enfermeiros (OE), feito na terça-feira, para reforçar a capacidade de resposta dos cuidados intensivos nas próximas semanas, anunciou esta quarta-feira aquela entidade.

"Em menos de 24 horas, 124 enfermeiros responderam favoravelmente ao apelo, manifestando disponibilidade para integrarem as unidades de cuidados intensivos, o que implicará um esforço acrescido por parte dos profissionais, muitos dos quais poderão acumular, face à carência de Enfermeiros", lê-se num comunicado.

No apelo, enviado ontem a "todos os Enfermeiros", a Ordem apelou à "disponibilidade de profissionais com experiência em cuidados intensivos que se encontram noutra actividade assistencial para reforçarem as unidades de cuidados intensivos temporariamente, previsivelmente num período de duas a três semanas, tendo em conta a presente situação epidemiológica".

A lista dos enfermeiros que respoderam ao apelo foi enviada hoje ao Ministério da Saúde, que ficará responsável pela operacionalização do reforço. No comunicado, a OE agradeceu a "todos os Enfermeiros pelo elevado sentido de serviço, disponibilidade, profissionalismo e dedicação, especialmente demonstrados na situação de especial adversidade que temos vivido" e enalteceu que, "apesar do cansaço após um ano de combate à pandemia, com longos turnos consecutivos e suspensão de férias, os Enfermeiros continuam, como sempre, a dizer presente".