Sociedade

"A vacina ajuda à proteção mas não é um escudo completo", alerta Marta Temido

Ministra pede que se continuem a ter cuidados, sobretudo porque há “novas variantes em circulação".

A ministra da Saúde, Marta Temido, voltou a falar, esta quinta-feira, sobre o plano de vacinação contra a covid-19 no país, lembrando que o caminho é feito de “passos que às vezes têm tropeções”, contudo, não se pode “perder de vista a meta: no final do verão ter 70% da população vacinada”.

No dia em que arrancou a vacinação dos bombeiros, a governante alertou para a importância de se continuar a cumprir as regras de saúde pública. "Há aspetos que não podemos descurar”, considerou. “A vacina ajuda à proteção, mas não é um escudo completo”, disse a ministra, reforçando que se continuem a ter cuidados, sobretudo porque há “novas variantes em circulação".

"Temos que preservar aquilo que é a cautela para recuperar o mais depressa possível a nossa normalidade de vida, a qual todos ansiamos", afirmou.

Sobre a vacinação dos bombeiros, que arrancou hoje no Centro de Saúde da Damaia, no concelho da Amadora, com a presença de Marta Temido, mas também do ministro Administração Interna, Eduardo Cabrita, da secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, e do secretário de Estado Coordenador para o combate à pandemia na Região de Lisboa e Vale do Tejo, Duarte Cordeiro, a ministra da Saúde considerou que é mais um “momento positivo”.

"[Este é] um bom momento, que também os há, é importante que as pessoas nunca se esqueçam disso quando são confrontadas com coisas que correm menos bem, por vezes", disse.

 “É bom estarmos vivos e a conseguir caminhar”, concluiu.