Sociedade

Vinte mil agentes da PSP e militares da GNR começam a ser vacinados no sábado

Os "militares e agentes na linha da frente e mais expostos ao riscos do coronavírus" e aqueles "que sofrem das comorbilidades/patologias listas pela Direção Geral de Saúde" serão os primeiros a ser vacinados.


O processo de vacinação dos elementos das forças de segurança vai começar já este sábado. Segundo o Ministério da Administração Interna (MAI), serão vacinados "10 mil militares da Guarda Nacional Republicana (GNR) e 10 mil agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP) ao longo das próximas três semanas".

Os "militares e agentes na linha da frente e mais expostos ao riscos do coronavírus" e aqueles "que sofrem das comorbilidades/patologias listas pela Direção Geral de Saúde" serão os primeiros a ser vacinados, segundo uma lista de grupos prioritários que "foi definida pela Guarda Nacional Republicana e pela Polícia de Segurança Pública, com base em critérios operacionais".

Em comunicado, a tutela sublinha que, "como exemplo de coordenação entre GNR e PSP, e de forma a aliviar a pressão sobre os serviços de saúde na região de Lisboa e Vale do Tejo", foi "montado um centro de vacinação conjunto para os guardas e polícias desta área". Assim, nas instalações do Quartel de Conde de Lippe, na Ajuda, haverá um centro de vacinação "com seis elementos do Centro Clínico da GNR e três elementos da Cruz Vermelha Portuguesa por cada turno de vacinação". A vacinação dos militares e agentes das outras regiões do país "será efetuada nos centros de saúde".