Sociedade

14 bombeiros do concelho de Espinho alvos de processo disciplinar depois de convívio no quartel

Um dos 14 bombeiros testou positivo para o novo coronavírus.


14 elementos dos Bombeiros do Conselho de Espinho vão ser alvo de processo disciplinar por terem participado numa ceia na cozinha do quartel, sem cumprir o plano de contingência da covid-19. Um dos 14 bombeiros testou positivo para o novo coronavírus.

O processo vai avançar na próxima semana e os bombeiros poderão arcar com duas consequências: uma suspensão entre 10 a 180 dias ou pena de demissão, explicou o comandante Pedro Louro à agência Lusa.

Segundo a “Informação de Serviço” do Gabinete de Comando dos Bombeiros de Espinho, os bombeiros estiveram “na noite do passado dia 08 de fevereiro, a brigada de serviço – brigada 3 – decidiu, mesmo após ter sido advertida no dia 16 de janeiro, realizar um convívio dentro da cozinha”, refere a nota acedida pela Lusa.

Para cumprir as normas para prevenir os contágios por covid-19, o espaço de refeição tem agora uma lotação máxima de seis pessoas, “em que todos os dias se espera à hora de almoço para poder entrar”, e no dia 8 de fevereiro estiveram 14 bombeiros “a confraternizar, obviamente sem máscara”.

Três dias depois, um desses bombeiros testou positivo para a covid-19. Até ao momento, este é o único caso, diz o comandante de Espinho.

Além de receberem uma ação disciplinar, o incumprimento das normas cometido pelos bombeiros também será comunicado ao Ministério Público.

O comandante decidiu cancelar imediatamente qualquer condecoração ou referência elogiosa aos envolvidos no período de 2021, fechar o ginásio até ao final de março e cancelar formações e treinos físicos no horário de trabalho até março também.