Internacional

Trump escapou por pouco. Senado chumba destituição de Donald Trump

57 deputados votaram a favor e 43 contra para a destituição do ex-presidente dos EUA. Para condenar Donald Trump eram necessários apenas mais dez votos, para obter dois terços do total de 100 senadores. Trump já reagiu e diz que segundo julgamento por destituição foi "mais uma fase da maior caça às bruxas" na História dos Estados Unidos.

Sábado foi dia de votação para a destituição de Donald Trump e o Senado norte-americano não considerou o ex-presidente culpado no julgamento político, onde foi acusado de "incitação à insurreição" no ataque ao Capitólio. Os democratas não conseguiram inverter os votos dos republicanos que precisavam para destituir Trump: 57 deputados votaram a favor e 43 contra. Para condenar Donald Trump eram necessários apenas mais dez votos, para obter dois terços do total de 100 senadores. 

É de realçar a divisão que está a repartir o Partido Republicano. Sete senadores deste partido votaram a favor da destituição do ex-presidente, entre eles Mitt Romney, Bill Cassidy e Susan Collins. 

O líder dos Republicanos na Câmara dos Representantes, Mitch McConnell, já tinha anunciado que iria votar pela absolvição de Donald Trump, explicando ainda que o Senado não tinha a capacidade para julgar um ex-presidente para a sua destituição.

Donald Trump já reagiu ao resultado e não fugiu do seu estilo argumentativo. Admitiu que o segundo julgamento por destituição foi "mais uma fase da maior caça às bruxas" na História dos Estados Unidos, acusou numa declaração escrita. "Quero primeiro agradecer à minha equipa de advogados dedicados e outras pessoas pelo trabalho incansável na defesa da justiça e na defesa da verdade", sublinhou.

Como já tinha referido, o republicano demonstrou de novo a vontade de continuar ativo na política. "O nosso movimento histórico, patriótico e belo (...) está apenas a começar. Nos próximos meses tenho muito a partilhar e estou ansioso para continuar a nossa jornada para alcançar a grandeza americana para todo o nosso povo", disse Trump, que mantem assim em aberto a possibilidade de se candidatar às eleições presidenciais em 2024.

O julgamento político de Trump ficou marcado pelas imagens inéditas que os advogados da acusação divulgaram no primeiro dia, nesta quinta-feira. Roupas de combate, violência e gritos como “enforquem Mike Pence” são alguns dos pormenores que o vídeo captou do assalto ao Capitólio, dia 6 de janeiro. 

Ontem, foi a vez dos advogados da defesa, três a cargo de Trump, apresentarem os seus argumentos onde acusaram os democratas de quererem "vingança política". Tal como os procuradores democratas, o advogado Michael van der Veen divulgou vídeos para mostrar que o ex-presidente dos EUA era um protetor da "lei e ordem" e que não era o único a fazer discursos escandalosos. 

 

 

 

 

 

 

.