Sociedade

Governo agradece ajuda médica francesa

França disponibilizou uma médica e três enfermeiras, que vão ajudar na prestação de cuidados intensivos no Hospital Garcia de Orta, em Almada.

O Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, agradeceu, esta segunda-feira, a ajuda médica disponibilizada pelo governo francês a Portugal. 

"Em nome do Governo português, um agradecimento profundo ao governo francês por esta colaboração e por esta cooperação, que é de facto um sinal bem vivo de uma Europa bem viva e bem solidária", disse o governante, na cerimónia de receção à equipa médica francesa, no Garcia de Orta.

"Tudo faremos neste contexto para aliviar aquilo que é a pressão ao nível das unidades de cuidados intensivos. E dizer-vos que de facto foi uma área onde muito temos investido, onde, relembro, tínhamos no início de março cerca de 1.142 ventiladores e temos hoje mais de 2.000 ventiladores. Tínhamos em 2012 um rácio de 4,2 camas por 100 mil habitantes; temos hoje um rácio - no final de dezembro - de 9,4 camas por 100 mil habitantes. Mais do que duplicámos", destacou, salientando ainda o esforço do executivo português na contratação de médicos intensivistas, 48 no ano passado, e mais 47 desde o início deste ano.

A equipa médica francesa, que durante 15 dias vai trabalhar no Garcia de Orta, é composta por três enfermeiras e uma médica do serviço de saúde dos bombeiros franceses.

"Viemos de várias regiões de França, temos participado em várias missões internacionais sanitárias, mas também em França, em missões covid e desastres naturais. É com grande satisfação que apresentamos a nossa ajuda e o nosso contributo à equipa do Dr. Antero Vale Fernandes, nesta crise de saúde, que também vivemos em França. Esperamos poder aliviá-lo na sua carga de trabalho, em colaboração com as suas equipas. Agradecemos a sua confiança e o seu acolhimento", disse a enfermeira francesa lusodescendente Sandra Fleury.

Também a embaixadora de França em Portugal, Florence Mangin, que esteve presente na cerimónia, agradeceu ao Governo português "por ter aceitado a proposta francesa de cooperação médica neste momento difícil", frisando que esta é uma "iniciativa de solidariedade muito natural entre dois países como a França e Portugal, que têm uma forte ligação de amizade".