Economia

Pais em teletrabalho com filhos menores vão poder pedir apoio à família

Até agora, os pais que estivessem em teletrabalho não eram elegíveis para os apoios à família, pagos pelo Estado, no contexto de pandemia da covid-19.


A Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, anunciou, esta quarta-feira, que os apoios às famílias vão ser alargados, nomeadamente no caso de pais que tenham filhos menores e que estão em teletrabalho.

Recorde-se que até agora, os pais que estivessem em teletrabalho não eram elegíveis para os apoios à família, pagos pelo Estado, no contexto de pandemia da covid-19.

"O trabalhador pode optar pelo apoio à família em vez do teletrabalho", disse a ministra, explicando que este apoio diz respeito a três situações: pais com filhos que frequentem até o primeiro ciclo da escola, inclui creche e pré-escolar, pais de filhos com deficiência e famílias monoparentais.

Neste último caso, o rendimento será de 100% do salário, com o "diferencial a ser assegurado pela Segurança Social", afirmou Ana Mendes Godinho.

"O que fizemos foi concretizar com os parceiros (…) relativamente às situações em que o teletrabalho é de difícil conciliação com a assistência às crianças", acrescentou.

No entanto, não há ainda data para a aplicação da nova medida. O objetivo é que seja levada já esta quinta-feira a Conselho de Ministros para que "entre em vigor o mais depressa possível".