Economia

Compras online continuam a crescer mas Portugal está abaixo da média europeia

Segundo o Eurostat, apenas 45% dos consumidores portugueses usou internet para comprar bens ou serviços.

As compras online continuam a crescer na União Europeia, principalmente pelo encerramento provisório de muitos espaços físicos como medida de contenção na propagação da covid-19. Os hábitos e preferências dos consumidores mudaram e, por isso, o e-commerce tem crescido cada vez mais. Segundo os dados mais recentes divulgados pelo Eurostat, em Portugal, 79% das pessoas entre os 16 e os 74 anos utilizaram a internet no último ano. Dessas, 45% usou a internet para comprar ou encomendar bens ou serviços.

Aqui, tal como já tinha acontecido com o poder de compra, Portugal está na cauda da Europa e fica apenas à frente de países como a Bulgária (com 31% dos utilizadores a fazerem compras online) e Roménia (38%).

A nível europeu, o gabinete de estatística revela que nos últimos 12 meses, 89% das pessoas com idades entre os 16 e os 74 anos na UE utilizaram a internet, 72% das quais compraram ou encomendaram bens ou serviços para uso privado. As compras online aumentaram quatro pontos percentuais face a 2019 e 10 pontos percentuais face a 2015 (62%).

Mais de 8 em cada 10 usuários da internet na Holanda (91%), Dinamarca (90%), Alemanha (87%), Suécia (86%) e Irlanda (81%) compraram ou encomendaram bens ou serviços pela internet no 12 meses antes da pesquisa. Do lado contrário, menos de 50% fizeram compras online na Bulgária (42%) e Roménia (45%).

O gabinete de estatística revela ainda que, nos três meses anteriores à pesquisa, as compras online mais comuns foram roupas e calçados ou acessórios. Seguem-se filmes ou séries como serviço de streaming ou downloads (32%), entregas de restaurantes, redes de fast-food e serviços de catering (29%), móveis, acessórios para casa ou produtos de jardinagem (28%), cosméticos, produtos de beleza ou produtos de bem-estar (27%), livros impressos, revistas ou jornais (27%), computadores, tablets, telemóveis ou acessórios (26%) e música como serviço de streaming ou downloads (26%).

Portugal na 40ª posição Ainda esta quarta-feira foi revelado que, em 2020, Portugal subiu dois lugares, para o 40.º lugar, no ranking de comércio eletrónico da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD). O relatório da entidade revela que 75% dos portugueses usam a internet, sendo que destes 51% fazem compras online. Quanto a percentagens da população total, 38,3% dos portugueses recorrem ao comércio eletrónico.

O relatório revela ainda que a Europa “continua a ser a região mais preparada para o e-commerce”.