Sociedade

Menor número de doentes internados em 36 dias

Maioria das vítimas mortais registadas tem mais de 80 anos. Das 600 pessoas que foram atacadas com mais gravidade pela doença, 42% mantêm imunidade desde março de 2020.

Portugal registou, nas últimas 24 horas, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado esta quarta-feira, 127 óbitos associados à covid-19 e 2.324 novos contágios. Estes números constituem, assim, um crescimento significativo face aos do dia anterior, quando se confirmaram 111 mortes e 1502 casos. O país soma agora um total de 15 649 vítimas mortais da doença e 790 885 infeções.

A maioria das vítimas mortais que constam do boletim tinha mais de 80 anos (foram contabilizadas 76 mortes nesta faixa etária), sendo que ocorreram 34 mortes em pessoas entre os 70 e os 79 anos; 12 em pessoas entre os 60 e os 69 anos; quatro em cidadãos entre os 50 e os 59 anos e um num homem com idade compreendida entre os 40 e os 49 anos.

Dos 2324 novos casos, 1224 foram registados na região de Lisboa e Vale do Tejo. Segue-se o Norte com 482 novos contágios, o Centro com 367, o Alentejo com 108 e o Algarve com 101. Na Madeira há mais 34 infetados e nos Açores mais oito.

Quanto aos óbitos, 71 ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo, 22 no Norte, 21 no Centro, sete no Alentejo e seis no Algarve. Nos arquipélagos não se registou qualquer morte associada à doença.

 

Descida de internamentos

O número de doentes internados voltou a registar uma quebra de 345 pessoas, embora ligeiramente menor do que na de terça-feira, quando os dados davam conta de menos 350 camas ocupadas por doentes covid.

Atualmente, 4137 infetados estão nos hospitais do país. Este é o número mais baixo de doentes hospitalizados por covid-19 desde 12 de janeiro, ou seja, há 36 dias. Recorde-se que, nesse dia, existiam 4043 pessoas internadas.

Dos doentes internados – 719 menos 33 do que no dia anterior – estão em Unidades de Cuidados Intensivos. Isto significa que, o valor desce há cinco dias consecutivos.

Nas últimas 24 horas, mais 5342 pessoas foram dadas como recuperadas, atualizando o total para 683 061.

Das 600 pessoas que foram atacadas com mais gravidade pela covid-19, 42% mantêm imunidade à covid-19 desde março de 2020, o que significa que desenvolveram mais anticorpos contra o vírus, revela a investigação realizada pela Ordem dos Médicos, Universidade Nova e várias fundações.

Outro fator verificado no estudo foi a imunidade ter-se mostrado mais longa nas pessoas com mais idade, sendo este um dos aspetos que continua a levantar dúvidas.

 

Plano de ação contra variantes

A Comissão Europeia vai financiar com 150 milhões de euros a investigação científica ligada à pesquisa e sequenciação de novas variantes do coronavírus.

Os objetivos da HERA (Humanities in the European Research rea) Incubator, anunciada em Bruxelas, passam por acelerar a produção de vacinas adaptadas às novas estirpes, que poderão ser aprovadas através de um procedimento simplificado para a autorização de emergência da Agência Europeia de Medicamentos.

Assim, uma das medidas a tomar é o reforço da troca de informação dentro da União Europeia sobre as novas variantes.

Atualmente existem 92 175 casos ativos, menos 3 145 do que ontem, e as autoridades de saúde têm sob vigilância 114 681 contactos.