Sociedade

Ministério Público já instaurou 33 inquéritos a casos de vacinação indevida

De acordo com a PGR, foram abertos dez inquéritos na área da Procuradoria-Geral Regional de Coimbra, oito nas áreas da Procuradoria-Geral Regional de Évora e do Porto, e sete na área da Procuradoria-Geral Regional de Lisboa.


O Ministério Público já abriu 33 inquéritos-crime a casos de uso indevido de vacinas contra a covid-19. Há cerca de duas semanas, a Procuradoria-Geral da República (PGR) indicava que tinham sido abertas nove investigações. Entre os novos inquéritos, estão casos de vacinação de responsáveis autárquicos de Lisboa, Portimão e Reguengos de Monsaraz.

De acordo com a PGR, foram abertos dez inquéritos na área da Procuradoria-Geral Regional de Coimbra, oito nas áreas da Procuradoria-Geral Regional de Évora e do Porto, e sete na área da Procuradoria-Geral Regional de Lisboa.

"Esclarece-se que, para além de situações anteriormente confirmadas, foram, designadamente, instaurados inquéritos relativamente a factos noticiados relativos a instituições particulares de solidariedade social de Castelo Branco, Farminhão, Resende e Trancoso ou relacionados com a vacinação de responsáveis autárquicos de Lisboa, Portimão e Reguengos de Monsaraz", informa a PGR.