Internacional

Dubai diz que princesa Latifa "está a ser tratada em casa"

A princesa de 35 anos, filha de Mohammed bin Rashid al-Maktoum, governante do Dubai e primeiro-ministro dos Emirados Árabes Unidos, afirmou estar retida como "refém" no seu país e disse recear pela vida.

A embaixada dos Emirados Árabes Unidos em Londres anunciou, esta sexta-feira, que a princesa Latifa está a ser tratada em casa e que "o seu estado regista melhoras". De realçar que, no início desta semana, o mundo ficou em choque com os vídeos protagonizados pela princesa Latifa, em que esta afirmava estar “refém” do seu próprio pai, o emir do Dubai, Mohammed bin Rashid al-Maktoum, e confessava temer pela sua vida.

“A sua família confirmou que Sua Alteza está a ser tratada em casa, apoiada pela família e profissionais de saúde. O seu estado continua a melhorar e esperamos que ela retome a vida pública rapidamente", referiu a embaixada, numa resposta enviada à BBC.

Já esta manhã, durante uma conferência de imprensa, Liz Throssell, uma porta-voz da Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, pediu aos Emirados Árabes Unidos que fossem fornecidas provas da vida da princesa Latifa.

"Expressamos a nossa preocupação com a situação, à luz dos vídeos perturbadores que surgiram esta semana. Solicitamos mais informações e esclarecimentos sobre a situação atual" da princesa Latifa, declarou a porta-voz. "Pedimos prova de vida", acrescentou.

Recorde-se que diversos países e organizações lançaram apelos para salvar Latifa e revelaram preocupação pelo seu bem-estar. O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Dominic Raab, considerou que os vídeos, divulgados em canais de televisão como a BBC e Sky News, são “preocupantes”.