Vida

Elisabeth da Bélgica. A primeira princesa soldado

É a primeira vez que uma mulher da realeza belga foi estudar para a Academia Militar Real. A Princesa ingressou nesta Universidade, em Bruxelas, que já foi frequentada pelo seu pai e diversos monarcas europeus, e onde vai adquirir conhecimentos nas áreas da marinha, exército e força área. A Princesa Elisabeth está a preparar-se para ser Rainha, um momento simbólico na História da Família Real belga.

Filha mais velha dos Reis Philippe e Mathilde da Bélgica e com três irmãos mais novos – Gabriel, de 16 anos; Emmanuel, de 14; e Eleanore, de 12 -, Elisabeth vai tornar-se a primeira Rainha dos belgas após a alteração de 2010 à Lei que reconheceu às mulheres o direito a herdarem a Coroa em detrimento dos seus irmãos mais novos.

Elisabeth nasceu às 21 horas e 58 minutos do dia 25 de outubro de 2001, em Anderlecht; a essa hora ecoou uma salva de 101 tiros de canhão, saudação até então reservada ao nascimento de um herdeiro do trono.

Corria o ano de 2006 quando Elisabeth protagonizou o seu primeiro ato oficial, na missa do Dia Nacional da Bélgica. Em 2013 recebeu o título de duquesa de Brabante, uma distinção exclusiva para os herdeiros da Coroa. No ano seguinte, em 2014, fez o seu primeiro discurso, numa cerimónia de homenagem às vítimas da Segunda Guerra Mundial. O discurso, feito aos 13 anos de idade, foi lido nas três línguas oficiais do país: flamengo, alemão e francês.

A Princesa Elisabeth realizou o ensino secundário no País de Gales, no UWC Atlantic College. Poucos dias antes de completar 19 anos, no último mês de outubro, a futura Rainha ingressou na Academia Militar Real – uma universidade militar de renome em Bruxelas, a mesma que o seu pai já havia frequentado entre 1978 e 1981, assim como Guilherme da Holanda e a Princesa Raiyah da Jordânia. É a primeira vez que uma mulher da realeza belga frequenta a academia militar a fim de se preparar para o seu reinado, onde irá adquirir conhecimentos sobre as três vertentes da instituição militar (marinha, exército e força aérea), mas também nas áreas das ciências sociais, comunicação, relações internacionais, geopolítica, gestão e liderança, sem esquecer igualmente a relevância de um treino físico rigoroso.

A Princesa Elisabeth esteve ainda no acampamento militar de Elsenborn, na Bélgica, onde, à semelhança dos restantes alunos, realizou o seu treino militar com a duração de quatro semanas. Neste período aprendeu técnicas de camuflagem como pintar a cara e as mãos, tendo seguidamente recebido a boina azul do centro. A boina azul é entregue pelo monarca – seu pai – na inauguração solene do ano académico. Um momento que marca o início da formação militar, que se estenderá até ao próximo mês de julho.

O despertador passou a soar às seis da manhã e o dia da princesa inicia-se com a saudação à bandeira. Constam ainda do programa matérias como sociologia, pensamento crítico, matemática, informática, ética, relevando igualmente a importância dada à aprendizagem de línguas estrangeiras, nomeadamente o alemão.

Coragem, compromisso, respeito, disciplina, honra. Estes foram os cinco deveres enunciados pelo cadete Thierry Pirenne na sua mensagem de boas-vindas aos cadetes. Tudo qualidades essenciais para a formação de uma futura Rainha.