Politica

Iniciativa Liberal. Líder admite que PS pode provocar eleições antecipadas

Cotrim de Figueiredo diz ainda que se Adolfo Mesquita Nunes quiser ingressar no partido é “bem-vindo”


É um tema que tem dividido opiniões. No final do ano, haverá, ou não, uma crise política? João Cotrim de Figueiredo, presidente da Iniciativa Liberal, admite que pode haver eleições antecipadas. Isto se o PS achar que é “tentador” até porque “haverá muitos fundos para distribuir e uma recuperação económica para gerir”. 
Numa entrevista ao DN e à TSF, Cotrim de Figueiredo começa por sublinhar que “o primeiro-ministro é hábil e sabe que quem provoca crises políticas é penalizado, mas pode criar as condições para que essa crise aconteça e que seja necessário antecipar eleições”. Para o deputado único da Iniciativa Liberal é “muito tentador para o Partido Socialista, tal como nós o conhecemos e como se tem desenvolvido na sociedade portuguesa, estar a presidir um Governo numa altura em que haverá muitos fundos para distribuir e uma recuperação económica para gerir”. É neste quadro que admite ser possível criar condições, meramente táticas, “para o PS antecipar as eleições para antes de 2023”. 
Na mesma entrevista, Cotrim de Figueiredo admite que já houve conversas com Rui Moreira por causa da candidatura à Câmara do Porto, mas não foram conclusivas. E, “a hipótese mais provável” é a Iniciativa Liberal ter um candidato próprio. Questionado sobre se o ex-candidato presidencial Tiago Mayan nunca será candidato no Porto, ( num quadro das conversas com Rui Moreira), Cotrim de Figueiredo recusou a ideia do “nunca” e admitiu que “poderá ser candidato”. Quanto a Adolfo Mesquita Nunes, o rosto liberal mais proeminente do CDS ( e adversário de Rodrigues dos Santos), o deputado deixou-lhe um convite velado para a Iniciativa Liberal: “Se o Adolfo achar que o seu futuro político continua a passar pela participação em partidos, pois com certeza que será bem-vindo, como qualquer pessoa convictamente liberal”.