Internacional

Alemanha aprova 'autotestes' à covid-19 para fazer em casa

Ministro da Saúde alemão, Jens Spahn, defende que a medida permite acelerar o desconfinamento no país, cuja economia está paralisada desde meados de dezembro devido ao recolhimento obrigatório.

A Alemanha aprovou três testes de antigénio para a covid-19 que podem ser realizados em casa, sem ser necessário um profissional de saúde para o executar, afirma a Reuters.

Esta medida pertence à estratégia do Ministro da Saúde alemão, Jens Spahn, para ajudar a levantar a economia do país que já está paralisada desde meados de dezembro devido ao recolhimento obrigatório.

De acordo com o site do Instituto Federal de Drogas e Dispositivos Médicos, regulador farmacêutico alemão, os testes de antigénio foram aprovados, esta quarta-feira, e são feitos pela Healgen Scientific, Xiamen Boson Biotech e Hangzhou Laihe Biotech para uso doméstico, sem precisar de assistência profissional.  

Ainda não sabe quando é que Angela Merkel vai começar a desconfinar a Alemanha, pois a taxa de infeção por covid-19 estagnou nos últimos dias, depois de ter caído progressivamente em janeiro, tornando a decisão do Governo mais complicada de aliviar ou não as restrições estipuladas até dia 7 de março.

Segundo a Reuters, a Chanceler alemã pediu aos legisladores do partido conservador para conseguir disponibilizar mais testes rápidos e para aumentar a sua quantidade, de forma a voltar à normalidade controladamente e durante mais tempo.

O Governo alemão vai adquirir 30 a 45 milhões de testes de antigénio, que poderão custar até 810 milhões de euros por mês, de acordo com os documentos referidos pela Reuters.

Jens Spahn disse à emissora ZDF que mais kits de teste domésticos vão ser aprovados ainda nesta semana.

A Alemanha não é o único país a apostar neste tipo de testes para ajudar a detetar o novo coronavírus. Na Áustria, os considerados autotestes estão a ser usados nas escolas e a partir da próxima semana as farmácias vão disponibilizar gratuitamente estes testes.

Já no Reino Unido, a polícia esteve a distribuir testes à covid-19 para tentar rastrear e impedir a disseminação da variante originária da África do Sul.